Sindicato cobra da empresa novo médico do trabalho para atender as necessidades da categoria

111

O SINTECT-DF informa aos trabalhadores que está tomando as providências cabíveis em relação à falta de médico do trabalho na administração central e na superintendência regional do Distrito Federal. Há dez meses o profissional que ocupava o cargo saiu no Plano de Demissão Incentivada (PDI) dos Correios, o que tem prejudicado os ecetistas que se encontram afastados pelo INSS e também as vítimas de acidente de trabalho.

 
Muitos trabalhadores estão encontrando dificuldades até mesmo para retornar ao trabalho, sendo impedidos pela falta de médico para assinar o Atestado de Saúde Ocupacional (ASO). Além disso, para piorar a situação do trabalhador, ficam sem pagamentos.

 
A empresa alegou que foi aberto concurso para médico do trabalho nos Correios ainda no ano passado, quando o profissional aderiu ao PDI, no primeiro semestre de 2017, mas que ainda falta a segunda fase para a contratação de um novo médico.

 
O SINTECT-DF, contudo, avisa a categoria que dispõe de médico do trabalho para auxiliar os ecetistas. Os que estiverem com dificuldades, podem entrar em contato com a secretária do sindicato para buscar auxílio e buscar atendimento. O profissional atende duas vezes por mês. Enquanto isso, o SINTECT vai permanecer na luta por soluções, para que a ECT resolva essa situação e os trabalhadores não continuem sendo vítimas de mais uma atitude que prova a falta de gestão da estatal.