Greve continua mesmo com descontos dos dias parados

697

Já são 14 dias de greve dos trabalhadores dos Correios e a categoria permanece mobilizada em todo o País. Aqui no Distrito Federal não está diferente. Muitos ecetistas continuam no movimento paredista, seguindo a orientação do Comando Nacional de Mobilização e Negociação da FENTECT (CNMN/FENTECT) e participando ativamente das ações do SINTECT/DF. Mesmo após os descontos da greve pela ECT e todas as demais ameaças, a categoria resiste firmemente.

“O que a empresa fez é ilegal. A própria lei de greve fala que os dias não trabalhados devem ser alvo de negociação. A ECT teria que esperar acabar a greve, ou por acordo ou por dissídio coletivo, mas optou pela prática antissindical, para realmente amedrontar os trabalhadores. Temos que continuar com  a mobilização, pois se voltarmos agora, será sem nenhuma garantia e daremos, assim, à empresa, um cheque em branco para que ela faça a alteração que quiser”, explica a presidente do sindicato, Amanda Gomes Corcino.

Hoje (2), a assessoria jurídica da FENTECT se reuniu com o ministro Emmanoel Pereira, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), onde fez a denúncia dos descontos praticados pela ECT os advogados também protocolaram o pedido de audiência de conciliação, ao tribunal. A expectativa é que haja uma mediação ainda no início desta semana, no TST.

Pauta mediação

Quanto aos dias descontados dos trabalhadores que aderiram à greve, o sindicato informa que o assunto também será tratado na mediação, bem como a questão da abusividade e demais pontos da campanha salarial.

Amanhã (3), a terça-feira será de agenda cheia para os ecetistas do Distrito Federal e de todas as partes do País, com assembleia do SINTECT/DF, a partir das 8 horas, em frente ao edifício sede dos Correios. Os trabalhadores do DF vão se somar com as caravanas dos trabalhadores que estão vindo de vários estados do país, para o Ato Nacional em Defesa das Empresas Públicas, com outras categorias, contra a privatização. A categoria de Correios estará em peso nas ruas de Brasília, para seguir em passeata até o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o prédio do Planalto e o Congresso Nacional.

“Não podemos recuar agora. As nossas conquistas serão do tamanho da nossa mobilização”, enfatiza a presidente do SINTECT/DF.

Clique e acesse o INFORME 015 do Comando Nacional de Mobilização e Negociação da FENTECT: INFORME 015 do CNMN 2017-2018

0002

0003