Assembleia amanhã decidirá sobre a proposta do TST

561
Foto: Heitor Lopes/Fentect

O Comando Nacional de Mobilização e Negociação esteve reunido durante todo o dia de hoje (5) para buscar esclarecimentos dos pontos que deixaram dúvidas na proposta. Após o debate com a assessoria jurídica da federação, a maioria do comando entrou em consenso para orientar pela aprovação do texto, porque entende que essa preserva todos os direitos conquistados pela categoria.

Assembleia de avaliação amanhã

Nesse sentido, o SINTECT-DF vai levar a orientação do comando para ser apreciada na assembleia desta sexta-feira, às 16 horas, em frente ao edifício sede dos Correios.

Viramos o jogo!

Nessa campanha, enfrentamos todo tipo de adversidade. Primeiro, tivemos uma imensa dificuldade para começar as negociações e, quando finalmente foram iniciadas, a ECT apresentou um verdadeiro pacote de maldades, que retirava direitos e reduzia benefícios.

Diante de tanto retrocesso, a categoria não teve alternativa a não ser deflagrar uma grande greve. Apesar de todo assédio moral e ataques da empresa, os trabalhadores permaneceram firmes no movimento, inclusive peitando a injusta decisão do TST, que deferiu pela abusividade greve e, também, pelos descontos nos salários, praticados pela direção da empresa. Assim, decidindo bravamente pela continuidade do movimento paredista. A coragem dos trabalhadores e o posicionamento firme do sindicato e da FENTECT, forçaram a ECT e o TST a recuarem dos ataques.

Movimento histórico

Durante esse processo, realizamos dois grandes atos em Brasília. No dia 22, em frente ao Ministério da Ciência Tecnologia, Inovações e Comunicações, para cobrar do ministro Gilberto Kassab uma negociação séria com a categoria, protestar contra a privatização dos Correios e distribuir carta aberta à população. Já no dia 3 de outubro, o sindicato foi anfitrião do Ato Nacional em Defesa das Empresas Públicas, que recebeu caravanas de todo o Brasil e quase mil trabalhadores, que realizaram uma grande passeata pela Esplanada dos Ministérios, até o Ministério de Ciência e Tecnologia, onde foi realizado o sepultamento da política de desmonte da empresa, promovida por Temer, Gilberto Kassab e Guilherme Campos.

Ainda nesse processo, forçamos também as bases da outra federação pelega e patronal a fazerem parte do movimento.

O sindicato parabeniza os trabalhadores e trabalhadoras que foram à luta nas ruas do Distrito Federal. Provamos o quanto lutar e resistir faz a diferença. Foi na luta e com muito esforço que conseguimos arrancar do TST uma proposta que preserva todos os nossos direitos, em particular, a garantia da reedição cláusula 28 da assistência médica.

O sindicato esclarece que é importante que nenhum trabalhador volte antes da decisão da assembleia, pois somente amanhã (6) e em conjunto decidiremos o rumo do movimento e o futuro da categoria.

INFORME 017 DO COMANDO DE NEGOCIAÇÃO:

00010002